Personal tools

Skip to content. | Skip to navigation

Sections
You are here: Home / Editora Rede Unida / Biblioteca Digital / Coleção Micropolítica do Trabalho e o Cuidado em Saúde

Série Micropolítica do Trabalho e o Cuidado em Saúde

by Davi Duarte last modified 19/09/2017 13:11
Composta por livros e coletâneas organizadas a partir de resultados de pesquisas empíricas e teóricas sobre temas relacionados às linhas desenvolvidas nos últimos anos pelo grupo de pesquisa do Programa de Pós-graduação em Clínica Médica da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro e/ou por pesquisadores do campo das análises micropolíticas do trabalho e do cuidado em saúde. As publicações são encaminhadas e submetidas ao Conselho Editorial da Editora Rede UNIDA, sempre acompanhados de pareceres escritos de profissionais de notório saber na área temática de cada publicação, elaborados de forma anônima. Apresentam uma ampla gama de conteúdos e apontam para múltiplos campos de problematização os quais se integram pelo desafio de ofertas conceituais para pensar o mundo contemporâneo da saúde. Desta forma, as obras desenvolvem um diálogo entre o campo científico, a partir da produção de saberes e conhecimento, em especial dos eixos das Ciências Sociais em Saúde e Política, planejamento e gestão de sistemas e serviços de saúde, com o âmbito de práticas, analisando e repensando a realização das ações em diferentes instituições ou órgãos, seja a partir do usuário, seja a partir das próprias relações de trabalho existentes nos espaços dos serviços. Parte de seus títulos são escritos em italiano, fruto de convênio internacional entre a Universidade de Bologna e universidades brasileiras, como UFRGS, UFF e UFRJ, demonstrando articulação, grau de internacionalização das pesquisas, em especial no nível de Pós-graduação em stricto sensu, e a própria interdisciplinaridade intrínseca à Saúde Coletiva.

A magnitude da deficiência auditiva, no Brasil e no mundo, vem aumentando na última década, e inúmeros esforços governamentais e não governamentais têm sido voltados à prevenção e promoção da saúde, reabilitação, tratamento, monitoramento e controle desse problema. Contudo, a Política Nacional da Pessoa com Deficiência Auditiva é recente, e há poucas publicações nessa área. A publicação deste livro técnico-científico, é baseada nas experiências e vivências na rede de atenção básica de saúde e educação, de docentes e discentes de graduação da área de saúde da UFRJ Campus Macaé e profissionais da área da pessoa com deficiência de Macaé, bem como as experiências nesse mesmo tema, de docentes de outras universidades da cidade do Rio de Janeiro. O livro reúne diversos aspectos da pessoa com deficiência, mais especificamente a auditiva, tendo como aspectos principais, a família, saúde e educação, e proporcionará aos profissionais de saúde, acadêmicos de graduação/especialização da área da saúde, familiares e sociedade em geral, o aprofundamento dos conhecimentos sobre a pessoa com deficiência, que os auxiliarão em sua prática diária, contribuindo para a melhoria da qualidade de vida da população envolvida e bem como na viabilização das diretrizes propostas na Política Nacional da Pessoa com Deficiência Auditiva.

A PESSOA COM DEFICIÊNCIA AUDITIVA: Os múltiplos olhares da Família, Saúde e Educação
OrganizadorasJane de Carlos Santana Capelli, Maria Fernanda Larcher de Almeida, Inês Leoneza de Souza, Vivian de Oliveira Sousa Corrêa, Juliana Montani Raimundo, Uliana Pontes Vieira, Angélica Nakamura, Raquel Miguel Rodrigues e Flavia de Miranda Fernandes

Aprender com Kathleen o seu longo agir cartógrafa, desenhando suas cartografias existenciais, a partir do registro intensivo dos vários maus encontros no mundo do trabalho, que coloca a trabalhar o corpo na sua expressividade, de uma forma que lhe permitisse linguajar os sofridos efeitos de um modo de viver, sentido como hostil, foi um privilégio para mim, que pude acompanhar de modo molecular, cada reação química desse processo. A potência narrativa de um corpo sentinte, como o que é dito nesse livro, vai sendo exercitada a todo momento. A solidão parece ser o único caminho e o sofrer, só para si, sugere impotência, mas não deixa de agir o abrir-se em multiplicidade em novos possíveis acontecimentos de si, colocando como possibilidade a produção de uma narrativa de si que também possa ser uma construção para os outros. No exercício de si e no jogo das alteridades de si, a autora vai desfiando pela carne mais vida que lhe permite respirar com os outros sofrimentos, que da solidão mostram-se potentes armas de produzir novas formas de existir na experimentação do viver. Lá, nas mais profundas vivências relatadas aqui, de modo o mais transparente possível, em um jogo de intensa sinceridade consigo, a autora desse livro, retira força em si para abrir-se como multiplicidade de viveres a celebrar com os outros, que a alimentam nas suas diferenças, potência dos modos coletivos de fabricar mundos que possam afirmar: viva o viver com o outro que é outros modos de existir, e que me enriquece a partir desses lugares nos nossos encontros. Trecho de Um convite a leitura de Emerson Elias Merhy.

Agires militantes, produção de territórios e modos de governar. Conversações sobre o governo de si e dos outros 
Autora: Kathleen T. Cruz

O presente livro é resultado de um trabalho produzido por coletivo(s) que foram se configurando no trabalho em saúde. O município de Sobral vem acumulando, ao longo dos tempos, muitas reflexões sobre esse movimento que tem se revelado no campo do ensino no trabalho. O que ensinar? Como Ensinar? Quem são esses sujeitos, que estão nos territórios da Estratégia Saúde da Família? Que sentidos têm sido produzidos? Muitas respostas a essas questões, leitores e leitoras deste livro encontrarão. São trilhas singulares que, com escuta e esforço, foram sendo construídas. Sim, um outro mundo é Possível! Cada capítulo vai nos revelando que a formação precisa de diálogos em permanência nos campos da gestão, formação e participação popular, que a aprendizagem precisa fazer sentido para quem nela está envolvida e que isso é revelado com a mudança necessária nas práticas que precisam ser transformadas, a fim de garantir a integralidade da atenção com respostas às questões que se retratam cotidianamente. Como nos diz Freire, homens e mulheres aprendem mediatizados pelo mundo, visto que é dele que se extraem as perguntas com suas situações-limite e várias/diversas respostas, a partir das potencialidades que existem localmente para superação de muitas das situações encontradas. (Trechos do prefácio escrito pela Profa. Dra. Maria Rocineide Ferreira da Silva)

Tecnologias leves em saúde: saberes e práticas da residência multiprofissional na estratégia
Organizadores: Maria Socorro de Araújo Dias, Márcia Maria Santos da Silva, Francisca Lopes de Souza, Ana Karina de Sousa Gadelha, Elyudienne Andressa Silva Alves

O campo da saúde, no Brasil, tem apresentado pouca capacidade de se abrir internamente para um diálogo profundo. Temos visto isso com receio, pois parece que perdemos a capacidade de nos renovarmos a partir das afetações e da abertura para a produção de transversalidades. É para insistirmos na necessidade de sairmos de monólogos entre distintas matrizes discursivas que os autores presentes nesse livro se mobilizaram para elaborá-lo. Na primeira parte como disparador dos debates teremos a dissertação de mestrado, defendida em 2010, pelo organizador desta publicação, Luciano Bezerra Gomes. Na segunda parte, encontrasse textos originais de autores que ofertam relevantes reflexões sobre a temática em questão. Entre os convidados para essa produção, não poderia faltar o próprio Eymard Vasconcelos e agregando uma reflexão instigante Julio Alberto Wong Un, convidado a participar desse livro pela sua trajetória militante e acadêmica, bem como por sua capacidade de agregar outras ênfases ao debate. Trecho da apresentação do organizador.

O Cuidado e a Educação Popular em Saúde
OrganizadorLuciano Bezerra Gomes

"Por uma questão de puro afeto, antes de produzir meu diálogo com o material, quero só declarar: viva, Tatiana!!! Isso, Tatiana viva nesse livro. Seu corpo sem órgãos aqui está de um modo belo e provocador. Sei que outros aí estão como autores de toda a produção, mas Tatiana .... sim faz falta pelo o que em potência teria como um de-vir. A força desse que aqui está é em si muito significativo nesse momento que vivemos, na sociedade brasileira. Um clima conservador em relação a multiplicidade do modo de viver por parte de uma grande multidão de brasileiros e brasileiras, que tem no preconceito contra a diferença do outro buscado agires fascistas anti-vida, imaginando-se consagrando modos de vidas normais. Vir com essa produção de conhecimento, nesse livro, traz a ousadia de enfrentar, como resistência afirmativa, exatamente isso: furar as práticas e estratégia que produzem da diferença desigualdade, afirmando os muitos repertórios da multiplicidade dos viveres em nós, todos os seres em produção. Isso nos inscreve no cotidiano do nosso agir como militantes antifascistas radicais, pois qualquer vida vale a pena para nós que queremos o que Tatiana sempre quis e lutou até o último minuto de si. Obrigado Tati por essa oportunidade de conversar contigo." Trechos retirados da apresentação feita por Emerson Elias Merhy

Mais substâncias para o trabalho em saúde com usuários de drogas
Organizadores: Tatiana Ramminger e Martinho Silva

A presente obra é fruto das experiências no Apoio das equipes de trabalho, as quais têm sido cada vez mais experimentadas no Sistema Único de Saúde. A crescente produção teórica sobre Apoio Institucional e Matricial nos últimos anos tem demonstrado caminhos factíveis de como e onde investir energia na gestão das políticas públicas para a renovação das práticas de saúde. Os autores acreditam que este livro de experiências de Apoio Institucional e Matricial da Bahia vem a acrescentar nesse contexto, expressando um pouco da luta e do trabalho realizado cotidianamente para o fortalecimento do Sistema Único de Saúde (SUS).Com linguagem simples e direta, o livro traz diversas experiências e acontecimentos que nos remetem ao que representa: tornar-se Apoiador(a) nas organizações de saúde; compor equipes e projetos de Apoio; e apoiar gestores e trabalhadores no contexto do SUS. São 11 narrativas de experiências concretas. Os autores são trabalhadores/gestores que trazem, na linguagem, a emoção de quem vive e repensa sua própria ação e existência no mundo. São registros de vida intensa no trabalho e acontecimentos que se passam há anos na Bahia.

Experiências de Apoio Institucional no SUS: da teoria à prática
OrganizadoraLetícia de Moraes Falleiro

Esta publicação revisita a produção acadêmica da autora à luz de suas leituras em Foucault, Deleuze e Guattari, abordando-os ao tema da micropolítica, que analisa o processo de produção de subjetividades a partir das relações de poder, ponto decisivo para se pensar a gestão, a produção do cuidado e a formação na área da saúde. O trabalho foi feito retomando e ampliando o debate teórico-conceitual suscitado por materiais anteriormente produzidos, explicitamente referenciados, ampliados e modificados.

Micropolítica e saúde: produção do cuidado, gestão e formação
Autora: Laura Feuerwerke

A presente obra é um convite a uma viagem de descobertas, para outras formas de produzir conhecimento, onde o mundo e a vida estão em conexão com objeto a ser pesquisado. Os diferentes capítulos que compõem a obra narram os efeitos da pesquisa intitulada “Acessibilidade na atenção à crise nas redes substitutivas de cuidado em saúde mental no estado do Rio de Janeiro”. Estão presentes as quatro Redes de Atenção Psicossocial (RAPs), do municípios do Estado do Rio de Janeiro, envolvidos na pesquisa, as quais sustentam a acessibilidade e a produção do cuidado na atenção à crise em saúde mental. Os autores “procuraram  ir” para além de só entender essa dinâmica do ponto de vista da relação entre demanda e oferta por serviços de saúde, tentando trazer para a cena do objeto de estudo a noção de acesso e barreira no plano do cuidado em si.

Pesquisadores IN-MUNDO: Um estudo da micropolítica da produção do acesso e barreira em saúde mental
Organizadores: Paula Cerqueira e Emerson Elias Merhy

A obra descreve o trágico como modo de abraçar a vida integralmente, em sua multiplicidade, em sua diversidade, em suas inumeráveis ofertas de bons encontros, mas também de maus encontros, de alegrias, mas também de tristezas, de apogeus e de quedas, com seus começos, muitas vezes belos, mas também com seus finais, muitas vezes difíceis. Assumindo suas dores, e todo o lado sombrio que possa haver, como parte que não pode ser amputada da aventura de existir, sem que isto a deixe mutilada e menor. O trágico fala, portanto, de uma aceitação de todas as dimensões da vida, mas, de forma alguma, de uma aceitação passiva, de resignação bem comportada.

O Trágico na Produção do Cuidado - Uma estética da saúde mental. 1ª Edição Revisada
Autor: Ricardo Moebus

A presente obra reúne quatro textos, apresentados em diferentes eventos acadêmicos e em diferentes temporalidades, são eles: “Subversões de Sexo(s) e Gênero(s): Contraposições ao Biocapitalismo Contemporâneo ou por uma política das multidões quer”; “Produções e Experiências Trans-saber, poder e subversões”; “Manifesto por uma euforia de gênero”; “A Construção do Dispositivo Trans: Saberes, Singularidades e Subversões da Norma”. As leituras constituem potências de desnaturalização dos corpos, gêneros e sexualidades, entendendo-os como produções historicamente construídos e em constantes transformações, no mesmo tempo e nos mesmos espaços.

Corpos, Gêneros e Sexualidades – Dispositivos de Subjetivação. Textos Reunidos. 1º Edição
Autora: Fátima Lima

Trata-se da edição revisada, atualizada e ampliada de seu conteúdo de sua primeira edição. Neste novo formato, a obra reúne seis textos, apresentados em diferentes eventos acadêmicos e em diferentes temporalidades, são eles: “Subversões de Sexo(s) e Gênero(s): Contraposições ao Biocapitalismo Contemporâneo ou por uma política das multidões quer”; “Produções e Experiências Trans-saber, poder e subversões”; “Manifesto por uma euforia de gênero”; “A Construção do Dispositivo Trans: Saberes, Singularidades e Subversões da Norma”; “É possível um Estado que abarque a multidão queer? Breves considerações para pensarmos a política sexual na biopolítica contemporânea“; “Biotecnologias, modos de subjetivação e práticas de si nos processos de hormonização entre homens transexuais.” “ As leituras constituem potências de desnaturalização dos corpos, gêneros e sexualidades, entendendo-os como produções historicamente construídos e em constantes transformações, no mesmo tempo e nos mesmos espaços.

Corpos, Gêneros, Sexualidades: Políticas de Subjetivação. Textos Reunidos. 2º Edição Atualizada e Revisada
Autora: Fátima Lima

O livro “Avaliação compartilhada do cuidado em saúde” está editado em dois volumes a partir do estudo de várias situações da produção do cuidado em saúde, tomando como eixo as formas de organizar essas práticas no Sistema Único de Saúde. Nasceram da escrita de centenas de pessoas, que compuseram o corpo de pesquisadores pelas várias regiões do Brasil, que compartilharam da aposta de produção de conhecimento com a ideia que, para avaliar a produção do cuidado em saúde, era necessário viabilizar a participação de todos os sujeitos trabalhadores e cidadãos, que compunham os cenários de produção das práticas de saúde. Constituímos coletivos, a partir da ideia que no mundo da produção do cuidado todos são pesquisadores, fazendo ofertas para dezenas de lugares espalhados pelo país. Formamos grupos de investigação nas regiões: Norte, Nordeste, Sudeste e Sul. Em todos essas regiões houve uma mistura, que nesse estudo chamamos de in-mundização entre os diversos sujeitos implicados com os focos desse estudo. Nessa in-mundice, o compartilhamento dos vários mundos que aí se inscrevem abriu os processos de avaliação da produção do cuidado em saúde para a dimensão micropolítica dos encontros. Os textos do volume 1 estão distribuídos segundo o diá logo que fazem com alguns eixos temáticos, que se misturam e atravessam. A escolha considerou a inspiração que o material pode produzir nos leitores, mas abrindo para suas próprias experimentações, portanto, vazando a própria ordenação proposta. Para o 2, os autores foram convidados a produzir textos mais extensos e com debates mais desenvolvidos. O centro da produção se mantém: pegar o instituído de surpresa no que o agir micropolítico dos encontros abre ali na produção das existências, no campo do cuidado em saúde.

POLÍTICAS E CUIDADOS EM SAÚDE LIVRO 1 - Avaliação compartilhada do cuidado em saúde Surpreendendo o instituído nas redes
Organizadores: Emerson Elias Merhy, Rossana Staevie Baduy, Clarissa Terenzi Seixas, Daniel Emilio da Silva Almeida e Helvo Slomp Júnior.

O livro “Avaliação compartilhada do cuidado em saúde” está editado em dois volumes a partir do estudo de várias situações da produção do cuidado em saúde, tomando como eixo as formas de organizar essas práticas no Sistema Único de Saúde. Nasceram da escrita de centenas de pessoas, que compuseram o corpo de pesquisadores pelas várias regiões do Brasil, que compartilharam da aposta de produção de conhecimento com a ideia que, para avaliar a produção do cuidado em saúde, era necessário viabilizar a participação de todos os sujeitos trabalhadores e cidadãos, que compunham os cenários de produção das práticas de saúde. Constituímos coletivos, a partir da ideia que no mundo da produção do cuidado todos são pesquisadores, fazendo ofertas para dezenas de lugares espalhados pelo país. Formamos grupos de investigação nas regiões: Norte, Nordeste, Sudeste e Sul. Em todos essas regiões houve uma mistura, que nesse estudo chamamos de in-mundização entre os diversos sujeitos implicados com os focos desse estudo. Nessa in-mundice, o compartilhamento dos vários mundos que aí se inscrevem abriu os processos de avaliação da produção do cuidado em saúde para a dimensão micropolítica dos encontros. Os textos do volume 1 estão distribuídos segundo o diá logo que fazem com alguns eixos temáticos, que se misturam e atravessam. A escolha considerou a inspiração que o material pode produzir nos leitores, mas abrindo para suas próprias experimentações, portanto, vazando a própria ordenação proposta. Para o 2, os autores foram convidados a produzir textos mais extensos e com debates mais desenvolvidos. O centro da produção se mantém: pegar o instituído de surpresa no que o agir micropolítico dos encontros abre ali na produção das existências, no campo do cuidado em saúde.

POLÍTICAS E CUIDADOS EM SAÚDE LIVRO 2 - Avaliação compartilhada do cuidado em saúde Surpreendendo o instituído nas redes
Organizadores: Laura Camargo Macruz Feuerwerker, Débora Cristina Bertussi e Emerson Elias Merhy.

O autor desse livro não tem nenhuma ingenuidade em relação a todas essa construção, ao contrário, opera por dentro dela e vai além, faz e se posiciona em relação a toda construção sobre o campo tecnológico da produção da saúde e extrai uma conversa bem problematizadora sobre isso. Vai além. Tenta extrair no estudo de experiências efetivas da produção do cuidado em saúde, em dois cenários de realização do Programa Mais Médico (PMM), elementos que lhe permitam fazer leituras bem enriquecedoras sobre esses paradoxos, como chamo, de se ir além no acontecimento do encontro para o cuidado do enquadre tecnológico da própria biomedicina e suas estratégias de concretização, em especial pela presença imperativa que a vida do outro produz aí, também. Trecho do Prefácio de Emerson Merhy.

Produção de vinculo: A relação entre médicos cubanos e dos usuários do Sistema Único de Saúde a partir do “programa mais médicos”
Autor: Carlos Alberto Severo Garcia Junior

.

Eduardo se encontra diante de suas próprias práticas de governo e formas de exercício de poder. Neste sentido, seu trabalho dá continuidade a uma conversa crucial para quem, como nós, se implica na defesa do SUS e na defesa da vida. Mas sua análise, suas questões, os dilemas que examina tem a marca de sua geração e de seu tempo, renovada por um vocabulário e por aportes teóricos e conceituais distintos, situada num outro momento da trajetória do SUS. Neste sentido, ele renova o vocabulário e nos convida a revisitar todo o conjunto mais amplo de práticas de governo deste movimento que logrou instituir um SUS. Tarefa particularmente urgente nesses tempos nos quais todo o legado deste movimento, que une Hésio, Reinaldo, Fiori, Gastão, Emerson, Eduardo e tantos outros de nós, está a sofrer o impacto das bombas que visam demoli-lo. Penso que a leitura desse livro se torna ferramenta para as novas viagens que teremos que fazer.

Práticas de governo na gestão do SUS: poderes, dilemas e pragmatismos

Autor: Eduardo Alves Melo

 

Nordeste 1 Nordeste 2 Centro-Oeste Sudeste Sul
Calendário
« Setembro 2017 »
Setembro
DoSeTeQuQuSeSa
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930